G3 COMUNICAÇÃO E ASSESSORIA

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

A morte do FUNDEB e o assassinato da educação Brasileira. Por Enock Douglas.

O que será da educação brasileira e dos profissionais do magistério sem os recursos do FUNDEB? Para quem não sabe esse fundo tem data de validade, ele não é permanente, foi criado em 2006 e poderá ser extinto já em 2020. Uma questão bastante preocupante e que tem passado despercebida nas principais discussões do país.

Todos os professores e demais profissionais da educação básica pública de estados e municípios são pagos com 60% dos recursos do Fundeb. Os outros 40% são destinados ao aparelhamento das escolas. Se esse fundo acabar, como os trabalhadores em educação receberão seus proventos? E como as escolas serão mantidas?
Por essa e outras questões tenho afirmado que 2018 é um ano de definição não apenas de gestores executivos e legislativos, mas da permanência ou não de direitos sociais adquiridos com muita luta. Caso essa onda de direita reformista continue, que só tem reformado a favor da elite, a precarização dos serviços para as camadas populares entrará no golpe de misericórdia.
É preciso acordar, sindicatos, organizações sociais, educadores, pais, alunos e toda a sociedade, para lutar contra a reeleição desses políticos que estão se vendendo para aprovar o fim dos nossos direitos. É preciso união, para eleger um novo presidente da república, governadores e legislativo que defendam os interesses populares, que coloque freio nesse ambicioso plano das elites empresariais, ruralistas e da mídia, que querem privatizar o Brasil a todo custo.
Há uma luz no fim do túnel, a proposta de emenda à Constituição que torna o fundo permanente (PEC 24/2017). Que tem como relatora a senadora do RN Fátima Bezerra. Sabemos que para a aprovação dessa emenda será necessário muita articulação política e pressão popular.Mais um motivo para termos muito cuidado e consciência nas escolhas dos nossos representantes governamentais. Que fique o milenar ensinamento de Sun Tzu “Aquele que se empenha a resolver as dificuldades resolve-as antes que elas surjam. Aquele que se ultrapassa a vencer os inimigos triunfa antes que as suas ameaças se concretizem”.


Enock Douglas Roberto é professor, especialista em educação (UERN), mestrando em ensino (UERN,UFERSA,IFRN)

Fonte: RN Política em dia.